Lost Kids – A Espera Vale a Pena?

Falei no post do Maki sobre o financiamento coletivo do Lost Kids, um quadrinho nacional que estava no Catarse e eu esperava ansiosamente pela minha revista. Finalmente ele chegou (depois de séculos de espera) e, como não poderia deixar de ser, vou contar a minha experiência ao ler o danado aqui.

Lost Kids é uma obra de Felipe Cagno que conta a história de 5 adolescentes que acabam transportados a um mundo de fantasia e buscam uma forma de voltar à Terra, mas não sem antes se envolverem nos problemas locais e se tornarem alvo de um grande vilão.
 
Arte do pôster e capa alternativa da 5a edição.

Pelo que se pôde perceber pelo andamento do projeto, Felipe é uma ótima pessoa: empolgado, comprometido, sonhador e atencioso aos colaboradores. Mas já começo achando uma falha dele a demora para enviar os livros aos não-visitantes da FIQ, resultando em uma espera pouco mais demorada que o previsto (o Maki também foi a FIQ e não demorou nem um pouco para chegar a minha casa).

Em compensação, a qualidade do material e a arte do pôster são fantásticas (até a minha irmã achou lindo). Eu realmente achei que estava com uma das melhores obras nacionais (nível Valente, de Vítor Cafaggi) em minhas mãos antes de começar a ler, fato que infelizmente não se tornou verdade.

Veja bem, eu odeio fazer críticas negativas, espero que todos que leiam isso aqui entendam os meus pontos e não se sintam ofendidos.

A revista em capa dura na verdade é uma junção de 8 revistas originais, trabalhadas por Felipe Cagno no roteiro e diversos artistas diferentes em cada edição, o que nos presenteia com traços e visões diferentes de cada artista sobre as crianças que se perderam (as revistas 5 e 6 são belíssimas, as outras nem tanto). As capas das revistas e as artes dos artistas convidados encontrados entre os capítulos também merecem destaque, já que a maioria por si só já valem metade do preço da revista (me arrependo amargamente de não ter contribuído para ganhar o livro A Arte de Lost Kids, mas aceito de presente).

Pra completar, a roteirização deixa um pouco a desejar… A história (mesmo não sendo muito original, quem não lembrou de Caverna do Dragão?), é meio empurrada, com diversos detalhes mal explicados ou jogados para o final. Os personagens principais são jogados no meio das conspirações do lugar e se tornam personagens secundários e até sem características próprias (no máximo algo como O Desenhista, O Rebelde, A Inteligente, A Muda e A Menina Que o Desenhista É Apaixonado), quase sempre tratados como um personagem só: “As Crianças.” Ainda são inseridos quatro novos personagens que tomam o lugar das crianças como principais e levam a história, mas que também são rasos e sem graça: pergunte a si mesmo “Qual o nome dos personagens?”

Os cortes de cena são surpresa, os finais das revistas são mistério e parece que cada arco tá pela metade quando você vai lendo a revista (quando as crianças trocam de roupa eu fiquei MINUTOS procurando alguma página que devia ter se soltado do meu livro, sem onda). A transmissão de sentimentos é bem sem graça, você não sente angústia com os personagens, não tem medo que eles morram, não desconfia dos malvados… Você só lê a história e espera ela seguir. Duas cenas destacam isso bem: o labirinto de ruas onde todos podem se perder para sempre, mas ninguém se perde e a (Spoiler, selecione o texto para ler) quase-morte do Desenhista, que o Mago salva SEM EMOÇÃO NENHUMA.

Na minha opinião, Lost Kids é uma obra de imensa boa-vontade, mas pouco polimento. Felipe Cagno iniciou o projeto e fez o possível para ele acontecer, e merece todo crédito por isso, mas talvez tenha faltado um revisor final mais cuidadoso ali pra dar uma prensa na galera (acho que li “até que fim”, em algum lugar, quando o certo é “até que enfim”). Gostaria muito de dar uma nota maior à obra, mas infelizmente ela merece somente um d6, e o material merece um d12.

Tirem suas próprias conclusões, comprem o livro aqui e boa leitura!

As notas são dadas na seguinte escala: d4, d6, d8, d10, d12, d20.

Todas as artes nesse post são propriedades de seus autores originais.

Anúncios

O que você acha?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s